Histórias de Vidas

Mais sobre Acupuntura e Medicina Chinesa

A interação do homem com seu universo interior e manifestação no exterior, vista sob a lente desses princípios ao longo do tempo podem explicar os ciclos de geração de saúde, ou de lesão da integridade física e/ou emocional.
 
A maneira como se movem através do corpo o  Qi-sangue ( xue) e os fluidos corporais (jin ye) também são consideradas na avaliação do paciente. 
Os fatores internos decorrem da interação de cada órgão meridianos) com os cinco elementos, seus movimentos e podem ser afetados por fatores externos como dieta, estilo de vida, emoções, clima. 

O diagnóstico é feito através da observação e na informação de sinais e sintomas que refletem a condição dos Sistemas Internos, sendo que na medicina Chinesa existe uma ampla variação de sintomas que não seriam considerados na Medicina Ocidental, como por exemplo ausência de sede ( estabelece relação com o Frio), incapacidade de tomar decisões pode representar alguma debilidade de funcionamento da vesícula, etc. Dessa forma o diagnostico baseia -se na observação dos seguintes pontos: Espírito, organismo, comportamento, cabeça e face, olhos, nariz, orelhas, boca e lábios, dentes e gengivas, garganta, membros, pele, língua e meridianos através dos pulsos. 

A Acupuntura e a Moxabustão atuam de forma simples, uma vez realizados os diagnósticos a partir das bases acima citadas, promovendo sedação onde existem excessos de um elemento ou energia, assim como também nos permite estimular áreas e órgãos onde observamos a deficiência de QI, sangue ou outros fluidos.

É gratificante poder perceber a melhora dos pacientes em uma gama enorme de patologias físicas e emocionais, restituindo funções, aliviando dores, e contribuindo para uma vida com mais qualidade e alegria. 
Fogo, umidade, frio, vento, como fatores externos e internos também podem ser equilibrados dinamicamente a cada novo desafio físico ou emocional. 

Atualmente trabalhamos com esses preceitos em paralelo com os avanços da Medicina Ocidental, especialmente a partir dos avanços da Neurociência, comprovando a produção de neurotransmissores, que atuam, aliviando dores, periféricamente relaxando músculos, aumentando a oxigenação global o que diminui os níveis inflamatórios, atuando como tratamento e na profilaxia de doenças agudas e crônicas.