Histórias de Vidas

Parto Humanizado

É certo que a vida deve ser celebrada, mas em nenhum momento nos rendemos tanto à ela, quanto na chegada de um bebe.
Cada vez que uma criança nasce, ocorre o mesmo fenômeno. Muitos de nós nos deslocamos de lugares distantes para conhece-la. Isso remonta uma história muito conhecida que se passou há mais de dois mil anos (pelo menos para mim. 
O meu sentimento é o de que cada vez que uma criança nasce, um novo Cristo chega a Terra, Uma nova consciência de Amor, Pureza, e potencialidades se instala ao redor da família que o recebe. De alguma forma reconhecemos isso, e atualmente nos é permitido testemunhar o protagonismo de pais e mães ao receberem seus pequenos. 
Desde o ano 2000 com a regulamentação das boas práticas para o parto humanizado, nos ativemos mais aos princípios de funcionamento do corpo (fisiologia) para melhor assistir nossas parturientes. As dúvidas do início da formação transformaram-se em confiança no fluxo e na sabedoria do corpo. A força de suas protagonistas, as mães vem se estabelecendo desde então e atualmente mais e mais mulheres compartilham esses momentos de espera e nascimento com seus parceiros e outros membros da família. 

O plano de parto se estabeleceu, inclusive juridicamente. fundamentado no conhecimento de todas as etapas fisiológicas e patológicas da evolução do pré-parto, trabalho de parto, parto, pós parto imediato e puerpério que é passado para as nões e pais durante o pré-natal. 
A presença do pai durante o pré-natal e parto tornou-se habitual, e mesmo depois do nascimento vemos maior integração do pai com a mãe e o bebe. 

Entre as boas práticas gostaria de destacar: 
– A espera pelo início espontâneo do trabalho de parto, sempre que possível até 42 semanas 
– A participação de Doula e enfermeiras durante a gravidez e o trabalho de parto são bem-vindas, caso esse seja o desejo da mãe. 
– Estimular a deambulação e vários movimentos que são propostos durante o trabalho de parto que podem estimular a analgesia (alivio das dores) de forma não medicamentosa.- Preparo adequado da musculatura perineal a fim de evitar-se a episiotomia, usada no passado rotineiramente. 
– Ligação tardia do cordão umbilical, permitindo a transfusão do maior número de células tronco. 
– Aleitamento precoce, precedido contato pele a pele entre a mãe e o bebe. com duração de pelo menos 60 minutos. 

Em nossa clínica optamos ainda pelas massagens com óleos aromáticos, acupuntura para alívio das dores, musicoterapia, dança durante o trabalho de parto. Durante o parto, a musica escolhida pelos pais e ouvida durante o pré-natal e a restrição das luzes do ambiente fazem parte da assistência rotineira às nossas mães. 

O universo singular que se revela para cada família nesse ambiente acolhedor e próprio de respeito, amor e acolhimento ao nascimento enche o ambiente e nossos corações de amor, alegria, esperança e fé.